COMO COMEÇAR A UTILIZAR OS ÓLEOS ESSENCIAIS

Se você está começando a usar óleos essenciais agora, alguns cuidados e informações devem ser levados em consideração. Há uma vertente da aromaterapia com a qual não me identifico: essa vertente busca espalhar o medo, como se óleos essenciais fosse algo perigoso ou seu uso reservado a “certas pessoas”, digamos assim. Eu não concordo com isso. Óleos essenciais podem ser para todos, desde que usados de maneira cuidadosa e responsável. Isso se consegue através de informação.

Tive a sorte de me formar em uma escola que não vai por esse caminho do medo e sim pelo caminho do amor, do conhecimento e da ciência. Isso foi libertador pra mim. Tanto que de uns tempos pra cá perdi o medo de partilhar receitas tanto de uso interno quanto de uso externo com óleos essenciais para que mais pessoas acessem essas poderosas gotinhas cheirosas e curativas.

Pretendo através deste texto dar orientações para quem está começando a usar óleos essenciais agora. Seja para fins medicinais ou cosméticos – o que acaba dando no mesmo, pois cosméticos feitos com óleos essenciais cuidam da sua saúde também.

Leia também: Óleo de baobá pra que serve

AROMATERAPIA
Em uma definição simplificada, a aromaterapia é a terapia através dos óleos essenciais. Então, quando você faz uso dos óleos essenciais de maneira sistemática e consciente, você está praticando aromaterapia. É um campo muito vasto. Os óleos essenciais podem ser usados para tratar e prevenir doenças, para o embelezamento e também para o equilíbrio energético. São a alma da planta, a forma mais concentrada de energia vegetal. Temos diversos receptores tanto dentro quanto fora do corpo pra eles. É uma maneira linda de nos relacionar com o reino vegetal e seu uso adequado traz muita harmonia para nossa vida.

O sentido mais importante para a aromaterapia é o olfato. Ao inspirar o aroma de um óleo essencial, ele penetra pelo nosso nariz e chega ao nosso sistema límbico e nesse local ele age de maneira subconsciente, ou seja, antes que tomemos consciência. O sistema límbico é uma das partes mais antigas do cérebro e está bastante ligado a emoções como a dor, o prazer, a raiva, a reação corporal, estímulos, o medo, a atração ou repulsa sexual e o aprendizado. Quem nunca sentiu um cheiro que fez lembrar a infância? Ou a turma do ensino médio? Ou um ex namorado? Esse sistema límbico está ligado à nossa memória e emoções.

Antes que você fique se perguntando: “mas eu só quero usar um óleo essencial pra tratar minha acne, (pele oleosa, queda de cabelo, mancha, preencha aqui com o que você deseja resolver), pra que esse papo complexo de olfato e sistema límbico, deusa?”

SEU NARIZ É SOBERANO
É porque independente do uso, quem escolhe se você deve ou não usar um óleo essencial é o seu olfato. Sobretudo se você não possui muito conhecimento teórico sobre o assunto, deixe-se guiar pelo nariz. Ele possui uma sabedoria não racional que nossa mente não tem. Ele sabe das coisas, ele sabe o que é melhor pra você. Se seu olfato rejeita um determinado aroma é porque ele não vai te fazer bem, pelo menos não naquele momento.

sabor-da-paixao-2
Se tratando de aromas, seu olfato é sábio. Confie nele.
Então, mesmo que seja pra tratar uma mísera picada de inseto, o aroma precisa ser agradável. Assim irá funcionar infinitamente melhor, pois possui maior afinidade com você. Isso transforma o uso dos cosméticos naturais em algo ritualístico e prazeroso. Uma das coisas que eu acho mais fantástica na aromaterapia é sua capacidade de curar e dar prazer ao mesmo tempo: algo bem diferente de outras terapias que tratam o índivíduo lhe causando mais dor e sofrimento.

CUIDADO COM INFORMAÇÕES ALEATÓRIAS
Óleo essencial de tea tree como reparador de pontas, duas gotinhas de gerânio no colo do útero, óleo de limão no creme do rosto… tudo isso tem na internet. Tea tree nas pontas do cabelo? No mínimo vai ressecar! Óleo de limão no rosto? Se você se expuser ao sol, pode ganhar uma mancha na pele. Sobre gerânio puro no colo do útero… eu prefiro nem comentar, só digo: miga, você está fazendo isso errado. Quer tratar questões ginecológicas com óleos essenciais? Ok. Mas procure um profissional habilitado pra isso.

Não estou falando isso pra assustar. Nem mesmo sou fiscal ou patrulha do blog alheio. Acho importante a difusão da aromaterapia nos mais diversos meios. Só que isso precisa ser feito com responsabilidade. Sempre que indico um óleo essencial aqui no blog, caso haja contra indicação, eu sinalizo no texto. Conheço diversas blogueiras que fazem isso também. É o certo. Na dúvida, pergunte se a autora do texto possui algum curso em aromaterapia ou se pelo menos ela estuda sobre o assunto. Cuidado com os textos “telefone sem fio” (uma copia da outra, que copia da outra, que vai modificando e daqui a pouco tá tudo incompleto e confuso).

Mulheres grávidas possuem restrições de uso de alguns óleos essenciais, principalmente nos primeiros três meses de gravidez. E crianças devem ter a dose ajustada. Na dúvida procure um profissional de aromaterapia ou faça perguntas a quem postou a receita. Esse jornal da Laszlo (>>clique aqui<<) tem um texto que fala dos óleos essenciais contra indicados na gravidez.

DOSES
A dose é outro assunto bastante importante a se considerar. Varia muito. Para uso em máscaras faciais eu costumo usar de 1 a 3 gotas na argila ou outro meio carreador. Para cremes e óleos corporais, uso 2 a 4 % (60 a 100 gotas para 100 ml de óleo ou creme, mas não uso tudo de vez).

20 Feb 2007, India — Woman Holding Essential Oil Bottle at Kalari Kovilamkom — Image by © Luca Tettoni/Corbis
Você pode preparar um óleo corporal aromático usando de 2 a 4% de óleos essenciais em óleo vegetal.
Para massagens em que o óleo vá ser usado todo de uma vez, 10 gotas de óleo essencial para duas colheres de sopa de óleo vegetal ou outro carreador são suficientes. Em usos pontuais, dá pra usar puro os seguintes óleos: lavanda, tea tree e resina de copaíba. Uso pontual é quando queremos secar uma espinha ou tratar uma picada de inseto, por exemplo.

CONTRA INDICAÇÕES
Óleos essenciais são medicamentos. Eles são capazes de curar, mas devem ser usados com cautela por quem possui algumas doenças, sobretudo crônicas. O alecrim não é indicado para pessoas com pressão alta, cardiopatas devem usar o hortelã com cautela e o ylang ylang pode deixar alguém com tendência à pressão baixa com maior risco de sofrer uma queda de pressão. Tudo isso deve ser visto individualmente e a dose também deve ser levada em consideração. Na dúvida ou receio, não use ou consulte um aromaterapeuta.

COMO COMPRAR
Algumas pessoas, principalmente as que estão começando, ainda confundem óleos essenciais com essências sintéticas. Isso é perfeitamente compreensível. Quando olhamos o frasquinho escrito “lavanda” por exemplo, pode ser o óleo essencial ou apenas um “cheirinho” qualquer semelhante à lavanda, feita em laboratório a partir de derivados de petróleo, sem nenhum valor terapêutico. Antes de comprar leia o rótulo, veja se está escrito “óleo essencial” e “100% puro”. Deve vir especificado o nome científico da planta também (EX: Alecrim – Rosmarinus officinalis). O preço entre óleos essenciais varia, porque cada planta tem um rendimento de produto final diferente. Então cuidado com marcas em que os preços são muito próximos. O que eu recomendo para você, iniciante é que compre de marcas consagradas no mercado. Quando o seu nariz conhece o que é bom, fica mais fácil futuramente identificar óleos falsificados e adulterados. As marcas abaixo eu confio e indico. Todas são facilmente encontradas em casas de produtos naturais (tipo Mundo Verde), farmácias de manipulação e alguns espaços de terapias holísticas:

Laszlo
Terra Flor
Bioessencia
Oshadhi
Essas são marcas que conheço e confio, mas não são as únicas. Então, vamos começar a usar os óleos essenciais sem medo? Caso tenha alguma dúvida, posta aqui nos comentários.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *